25 de fevereiro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
17/03/15 às 13h07 - Atualizado em 21/11/18 às 14h03

Brasília sediará jogos de futebol na Olimpíada de 2016

COMPARTILHAR

Previsão é que o Estádio Nacional Mané Garrincha receba de 12 a 14 partidas

Dayane Oliveira, da Agência Brasília

16 de março de 2015 – 17:55

Foto: Tony Winston/Agência BrasíliaBrasília sediará jogos de futebol na Olimpíada de 2016

 

A capital federal foi escolhida como uma das seis cidades a sediar os torneios de futebol feminino e masculino na Olimpíada de 2016, que ocorrerá de 3 a 20 de agosto, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito pelo Comitê Olímpico da Federação Internacional de Futebol (Fifa) nesta segunda-feira (16), após reunião em Zurique, na Suíça.

Serão 58 partidas em seis cidades e sete estádios. De acordo com o secretário de Turismo do Distrito Federal, Jaime Recena, Brasília está preparada para o evento esportivo, já que desempenhou um belo papel na Copa do Mundo de Futebol em 2014. De doze a 14 jogos deverão ser disputados no Estádio Nacional Mané Garrincha.

As outras capitais a receber as competições de futebol serão Belo Horizonte (MG), Manaus (AM), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP). No Rio, serão dois estádios: Maracanã e Engenhão.

Projetos bem-sucedidos – Segundo Recena, os planos e projetos que funcionaram na Copa do Mundo serão mantidos. É o caso do programa Cama e Café — por meio do qual turistas se hospedam em casas de moradores. O serviço nos Centros de Atendimento ao Turista (CATs) deve ser aprimorado. “A ideia é continuar com a hospedagem alternativa do Cama e Café. Já entramos em contato com a associação que representa os participantes. Sobre os centros de atendimento, pretendemos incrementá-los para a Olimpíada.”

Recursos e retorno – Ainda é impossível determinar valores relativos aos Jogos Olímpicos no DF, mas, segundo o secretário, a partir de agora a pasta vai iniciar um diálogo com a iniciativa privada e o governo para calcular o orçamento e o investimento financeiro do Distrito Federal no evento.

Tampouco é viável mensurar a quantidade de empregos e turistas. “Vai depender primeiro da quantidade de jogos que teremos. Diante disso, poderemos começar a pensar e produzir números de expectativa de público. Esperamos que Brasília receba perto ou mais que a quantidade durante a Copa”, esclarece o secretário.

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros